Barco de Fogo

O Barco de Fogo de Estância é considerado patrimônio imaterial de Sergipe desde 2003. Essa manifestação cultural foi uma criação do fogueteiro Antônio Francisco da Silva Cardoso, conhecido por Chico Surdo, cujas primeiras citações datam do final da década de trinta do século XX e até hoje encanta sergipanos e turistas do mundo inteiro.

O Barco de Fogo se movimenta deslizando sobre cabos de aço a partir da explosão das espadas feitas com pedaços de tabocas, enroladas com cordão de algodão e preenchidas com pólvora, pisada por no mínimo uma hora. Um fato curioso é que os fogueteiros utilizam

cachaça para que a pólvora não empedre. O Barco carrega quatro espadas, duas para ir e duas para voltar. O fogueteiro leva até uma semana para construir o Barco e quem tem o privilégio de assistir o show pirotécnico fica encantado com as cores, as decorações dos Barcos e com o som das espadas. Um dos pontos altos da festa é o trajeto de ida e volta, quando o barco vai queimando girândolas e espadas se transformando num rendilhado de fogo de beleza inconfundível. (Fonte)

No ano passado foi aprovada o Projeto de Lei nº147/2017 que

concede ao município de Estância, o título de “Capital Sergipana do Barco de Fogo”, reafirmando e reconhecendo publicamente o que todo sergipano aprende desde pequeno, sendo estanciano ou não.

Devido a pandemia, ficam apenas as lembranças de uma festa que chama a atenção e a curiosidade de turistas do mundo inteiro e que tem bastante significado, não só para a cultura de uma cidade, mas sim de todo um estado. 


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo