Sobre sistemas e Eternidade

Atualizado: Abr 8

Carlos Ayres Brito (Propriá)

Estamos ante um poeta marcado profundamente pelo direito como ministro, como advogado, como professor. Esse primeiro pequeno poema fala das dificuldades do sistema que domina o mundo para encaixar aceitavelmente no moral.


Neoliberalismo

A onda neoliberal É uma outra visão: Pra cada regra moral Há um monte de exceção.

Wall Street Bull, Carol M. Highsmith



Quanto mais democracia, menos lucro para o andar de cima, pois a democracia é alimentada por direitos para todos os nascidos. A onda neoliberal é demasiado corrosiva; só funciona no marco moral da democracia, com exceções.

No trabalho que segue, o poeta esquece do direito, e, com todo direito, pinta um quadro sobre um lenço platônico.


A eternidade e o tempo

Da flor da eternidade

Cai uma pétala a cada instante

E também a cada instante

Uma outra toma o lugar

Da que partiu

Cada pétala que se vai

E o tempo,

Cuja natureza é passar. Cada pétala que vem, A eternidade, Cuja natureza é ficar.


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Poema XXX

?