Gauguin e o filho de Deus

Paul Gauguin nasceu em Paris; sua mãe, Aline Maria, era peruana. Aos 17, entrou na marinha mercante, percorreu o mundo durante seis anos e, depois disso, casou-se com uma dinamarquesa e começou a trabalharo como corretor de bolsa.

Fez muito dinheiro e passou a morar em bairro de gente garúda. Nessa mesma época começou a interessar-se pela arte. Ficou fascinado com a escultura, começou a estudar com um consagrado artista, depois se inclinou pela pintura.

O crash da bolsa de valores de 1882, deixou Gauguin na ruína. Para sobreviver, começou a pintar full time, entrou na roda de negociantes de arte, vendeu seguros. Passados quase dez anos de sobe e desce no mar estressante das grandes urbes da Europa, largou esposa e filhos e foi para Taiti.

Teve ali uma primeira estadia de dois anos, mas quando viu que a venda dos quadros que ele mandava a Paris não pagava os gastos para a importação de tinta e pinceis, retorno à Europa.

Contudo, dois anos mais tarde, em 1895, aos 49 anos, retorna para sempre às ilhas do Pacífico Sul.

Nessa segunda estada em Taiti pinta Te Tamari no Atua, uma releitura do tema do nascimento de Jesus. O parto acaba de acontecer num estábulo, podemos ver as bestas no fundo. À esquerda dos animais, um anjo com asas verdes testemunha o carater sagrado do acontecimento. Descendo, vemos menino, com sua aura verde, nos braços de uma misteriosa mulher. Na cama, extenuada pelo enorme esforço, a mãe de Deus.

Em Taiti, Gauguin morava com uma jovem chamada Pau'ura. Pouco antes dele pintar esse quadro, ambos tinham perdido um filho no momento do parto. A tentação de estabelecer relações entre o fato da vida e o quadro é quase insuperável. Se esse era o filho de deus; deus era Gauguin. Incluso, a misteriosa mulher de lenço preto que segura o menino era uma representação da morte, muito popular entre os taitianos. Portanto, a criança do quadro poderia ter nascido morta. Mas que classe de deus tinha filhos que nasciam mortos? Era uma ironia? Uma grande ironia blasfema?

Gauguin, longe de ser Deus, morreria 7 anos mais tarde, nas Ilhas Marquesas, não muito longe de Taiti.