Mapa da memória

Por: Nino Karvan

A exposição Mapa da Memória, tomou os eixos da “paisagem” e da “cor” para selecionar 15 telas do Nino Karvan que trazem um panorama de diferentes momentos do pintor.

Nino Karvan é um observador, um cartógrafo que analisa, armazena e interpreta através da criação das suas imagens. Sua obra consiste em pinturas ou desenhos, por vezes até tridimensionais. Em que o desenho é a base de sua atividade, coloridos e arquitetônicos.

Seus trabalhos abstratos funcionam como elementos dentro de algo maior, em que o mapa mental vai explorando as referências díspares, reais ou imaginárias, de gestos de mundos diferentes em constante mudança, criando um novo dentro da arte de Karvan. Como é a série Experimentos, que é o resultado de contrastes de cores, de linhas que se cruzam e de relações espaciais deslocadas, uma experiência subjetiva do lugar enfatizando o lúdico.

Uma característica marcante no seu trabalho são as cores fortes e vibrantes com que pinta e que caracteriza sua poética. São vermelhos, azuis, amarelos, verdes, rosas, lisas, uma palheta intensa que inscritos na tela dão movimentos vigorosos e intensos, seja nas paisagens marinhas, serras, ou campos, ou mesmo nos trabalhos abstratos, em que o branco chega dando uma tranquilidade e equilíbrio nas paisagens. Ao adentrarmos as paisagens de Karvan, mesmo com um admirável colorido, são paisagens inabitáveis, em que a presença humana é ausente, em alguns momentos na sua pintura é como se na realidade nada existe, seria apensa pura adaptação. Suas paisagens são pintadas não como a ver, e sim como a sente.

Toda a obra de Karvan parte de uma pesquisa continua da pintura em que o artista se dedica a experimentar as diversas possibilidades de expressão em que a cor pode oferecer, para poder expressar sentimentos. Assim, vamos ajustando continuamente o nosso olhar para entendermos o seu trabalho.

Fernanda Kolming

Pesquisadora e Curadora

paisagens.jpg